Ouça:

Um dos assuntos mais falados nos meios organizacionais é o da produção. É claro que, se quisermos resultados excepcionais, devemos nos dedicar, obviamente, de modo também excepcional. Porém, cuidado! Há muito ouro de tolo nessa questão toda. A contraprodutividade pode matar a possibilidade dos bons resultados!

Ouro de tolo da produtividade

Grande Erro Profissional

Roberto Shinyashiki, no livro A nova lógica do sucesso, fala que, um dos grandes erros profissionais é a ideia de que trabalhar muito resolve (segundo ele, a qualidade é mais decisiva do que a quantidade).

Um trabalho pensado, organizado, focado e com ações efetivas, otimiza os esforços e diminui o tempo de dedicação, garantindo melhores resultados.

E por falar em tempo, este é o principal recurso que temos. Sem ele, é porque morremos. Assim, gerenciá-lo é uma questão fundamental.

A contraprodutividade para além de um certo limite de tempo

Uma das leis do uso do tempo desmascara os falsos alquimistas da produção: a da contraprodutividade para um certo limite de tempo.

O fato é que não podemos esquecer que somos seres de energia. Assim, quanto mais produzimos, mais a gastamos. Se não houver uma reposição, as forças se esvaem.

Aí cai concentração, capacidade de raciocinar, velocidade, enfim, uma infinidade de condições necessárias ao bom desempenho.

Produção e Capacidade de Produção (P x CP)

Stephen Covey, no livro Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes, nos fala sobre a importância da produção. Porém, ele dá, também, o fundamento e a importância da capacidade de produção. Assim, quando cuidamos só da primeira, ela cai e piora com o tempo.

Por isso, é importante cuidarmos, também, da estrutura necessária. E ela envolve a questão corporal, energética, ambiental etc. (que interferem diretamente nas nossas ações e resultados).

Lembro-me que, estudando errado (só para a prova), “varei” a noite debruçado sobre o livro de anatomia geral. Fui bem e tirei nota boa. Mas, no dia seguinte a prova era de periodontia (tratamento gengival). Não aguentei e acabei dormindo muito. Foi um desastre!

Como era o primeiro semestre, acabei recuperando o conteúdo e a nota. Porém, a maior aprendizagem foi a de gerir minhas forças em função do que tenho que fazer.

O sono é sagrado e alimenta de horizontes o tempo acordado de viver

Por tudo isso, por incrível que possa parecer, se cuidar, dormir, descansar, passear, viajar etc., pode ser ação efetiva de sucesso (desde que você tenha ações de trabalho direcionadas, focadas, também, é claro).

Portanto, é importante entender o nosso corpo. Quando podemos produzir, quando precisamos descansar (e isso precisa ser feito de tempo em tempo: dentro da própria jornada diária, entre uma e outra, semanalmente e com período de férias).

É como dizem Beto Guedes e Ronaldo Bastos, em Amor de índio: “a massa que faz o pão vale a luz do seu suor” (produção); “lembra que o sono é sagrado e alimenta de horizontes o tempo acordado de viver” (capacidade de produção).

Pense nisso, se quiser, é claro!

Prof. Ms. Coltri Junior é influenciador de negócios, adm. de empresas, mestre em educação, professor, escritor e apresentador de TV. www.coltri.com.br; Insta: @coltrijunior

Deixe uma Resposta

Your email address will not be published.Required fields are marked *