Quando entramos em uma jornada que provocará mudanças em nossas vidas, depois das fases que passamos como descrito nos artigos anteriores, há um momento em que os obstáculos aumentam e um perigo maior parece se aproximar.

As coisas começam a dar errado. Muitas pessoas, ao invés de ajudar, atrapalham a nossa caminhada, colocando mais obstáculos ainda.

Funcionam como Guardiãs do Limiar, posicionando-se como barreiras à nossa caminhada tranquila (que não existirá) para o sucesso.

O Mágico de Oz

Nesse momento, a vontade de desistir aparece e se torna forte. Em O Mágico de Oz, por exemplo, uma das representações dessa fase é quando o Leão diz: “só tem uma coisa que eu gostaria que vocês fizessem, amigos”.

O Homem de Lata e o Espantalho, então, perguntam: “O que é?” E o Leão responde: “Me façam desistir!”

Atravessando o Rubicão

O problema, você se lembra do artigo anterior, é que o Rubicão foi atravessado. Não há mais volta! Não adianta mais chorar, nem chamar pela mãe!

Por isso a importância de passarmos bem pelo mundo comum, de entendermos que há riscos, de termos contato com a ajuda do mentor. Ou seja: o nosso objetivo foi testado, pensado, planejado e, principalmente, temos a certeza de que ele arde no peito (uma chama que nos chama, como diz Humberto Gessinger, na canção Túnel do Tempo).

Aqui, agora, é a hora da coragem (seguir em frente, apesar do medo). Estamos chegando no meio da jornada. O maior problema a ser enfrentado está bem na nossa frente. Essa fase é chamada de Aproximação da Caverna Secreta.

Chegando na Provação Suprema

É lá que se encontra a nossa provação suprema. Portanto, além da coragem, antes de respirar fundo e enfrentar o desafio maior, é preciso lapidar a preparação, erguer um acampamento de base, planejar os últimos detalhes, estudar melhor o “inimigo”, seja ele o que, ou quem, for.

Caverna Oculta

Em nosso dia a dia, é como se estivéssemos à véspera da prova semestral, do vestibular, da entrevista de emprego, da nossa primeira fala em uma palestra etc.

Além desse preparo direto, é o momento, também, de, depois de feito o que tinha que ser feito, descansar a mente, abrir o coração, cantar uma bela canção, olhar a vida de um modo mais singelo.

É Hora de Abrir o Coração

Assim, além estar preparado(a) tecnicamente para enfrentar os que a caverna nos oculta e nos prepara, nos colocamos em uma condição emocional superior, amena, porém atenta, lúcida, racional, mas com o coração aberto.

Assim, se você estiver nessa fase, é hora de se preparar e acalmar seu coração. E, como não tem mais como voltar, é hora de entrar definitivamente na caverna!

Mais uma vez, como diz Almir Sater e Renato Teixeira, é: “compreender a marcha e ir tocando em frente”!

Pense nisso, se quiser, é claro!

Prof. Ms. Coltri Junior é estrategista organizacional e de carreira, palestrante, adm. de empresas, especialista em gestão de pessoas e EaD, mestre em educação, professor, escritor e CEO da Nova Hévila Treinamentos. www.coltri.com.br; Insta: @coltrijunior

Deixe uma Resposta

Your email address will not be published.Required fields are marked *